terça-feira, 28 de julho de 2015

Nunca Amei Ninguém...


Acho que nunca amei ninguém
Depois tanta ilusão
É uma verdade que convém.

Entendi que amor não é um fardo
Cheio de posse e insegurança
Mas pra quem não tá preparado
Só existe essa dança.

Olhando para trás já não sei
Que tanto vivi
Que tanto fantasiei.

Nunca amei Matheus
Rapaz do interior
Mas seria milagre de Deus
Acertar o pulo no primeiro amor.

Nunca amei Jardel
Que a nada se prende
Por ele viveria num bordel 
Viveria num mundo diferente.

Nunca amei Rafael
Que pouco do amor conhece
Passa anos esperando um troféu 
De um time que não o merece.

Nunca amei Camila
Essa foi por um tris
Quem diria nem com mulher nessa vida
Eu conseguiria ser feliz.

Hoje o contexto já é outro
Sou livre ou sou breve
Amor que pesa no ombro
Machuca um coração leve.

Não quero romance de Cinderela 
Que se dane o sapatinho
Senão for amor e liberdade singela
Saia logo e de mansinho.

Aprendi a ser feliz sozinha
Amar a essência do ser
E já não chamo de minha
Qualquer paixão que venho a ter.

Acho que nunca amei ninguém
Essa não é uma sentença triste
Feliz daquele que quase amou alguém
Acreditando ser o maior amor que existe.

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Felicidade Que Liberta...




Escrevo quando palavras não consigo mais guardar.

Quando o belo transborda de meus olhos e meus sorrisos já não cabem em meu rosto.

Escrevo versos soltos e livres como o sentimento que habita em mim.

Contigo as coisas parecem mais leves e meus desgostos já não parecem mais motivos para tristeza.

Na vida de que vale o choro, senão conseguirmos fazer graça dele no fim?

Tu és gentileza, és conforto, és brisa de outono.

Teus olhos são verdes aguas que acalmam. Que agradam.

Que me trazem de volta ao mundo e ao mesmo tempo me levam embora do que me cerca.

Se te olho, esqueço de tudo.

Já nem sei do que é feito o mundo quando me sinto assim.

Se minha fala me abandona, sou qualquer coisa que sorri.

Porque perto de ti o sorriso é fácil, o vento é brisa e o olhar é singelo.

Agora o tempo é volúvel.

A saudade já sabe teu nome.

E aqui dentro é verão.

Te vejo livre e alegre e me sinto livre e muito leve.

Tu és felicidade que liberta, felicidade que completa.

terça-feira, 7 de julho de 2015

Menina Mar...


Quem é essa menina
Que com o vento veio dançando
Cheia de rima,
Perfume e encanto?

Menina da praia que no campo é girassol;
E na cidade é luz que brilha,
Como os olhos de um farol.

Ela é concha maciça
Acorde que o mar moldou
Ela é onda, ela é brisa,
Música que a praia me mandou.

Voz que me traz conforto e felicidade
É o samba da menina que dança,
A dança da serenidade.